//
arquivos

Arquivo para

O público vai ganhar?

 (Este artigo é de agosto de 2003, mas podia ser escrito hoje. Com variações de intensidade, o episódio podia estar se repetindo agora, embora, talvez, nunca dessa forma. O caso relatado nesta matéria é provavelmente o mais grave na relação entre um grupo de comunicação e um anunciante. Chegou às barras dos tribunais, mas acabou … Continuar lendo

A Vale como espiã

É legal ou legítimo que uma empresa privada tenha nos seus arquivos prontuários de pessoas que lhe interessam, incomodam ou são seus inimigos? Pois a Vale tem. Não se tratam de fichas, anotações ou clippings. A designação que a empresa deu a esses registros personalizados é mesmo de prontuários, consagrados pelo aparelho policial e tingidos … Continuar lendo

Aço para a China

Em 2002 a Companhia Vale do Rio Doce produziu 164 milhões de toneladas de minério de ferro, um recorde até então na sua história de mais de 60 anos. Mas 12 milhões de toneladas desse total não saíram de suas próprias minas: foram adquiridos de concorrentes. Pela primeira vez desde que se tornou a maior … Continuar lendo

Minérios: oportunidades perdidas

(O artigo a seguir, de 2003, mostra que não houve avanço na agregação de valor à atividade mineral no Pará, passados 10 anos. A industrialização continua a ser figura de retórica. A realidade é colonial.}   Em 1994 a Companhia Vale do Rio Doce, ainda estatal, requereu à Sudam (Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia) isenção … Continuar lendo