//
arquivos

Arquivo para

Buracos: é o que a mineração nos deixa

“Graças à sua estratégica posição geográfica – no cruzamento de grandes rodovias, da futura ferrovia Carajás-Itaqui, nas margens da hidrovia do Tocantins, com disponibilidade de energia a ser fornecida por Tucuruí – Marabá possui especial vocação não apenas para centro comercial, agropecuário e produtor de bens minerais, mas também para tornar-se importante polo metalúrgico. Certamente, … Continuar lendo

Amazônia em quatro décadas

(Este texto é a transcrição de palestra que fiz em 2007. É longo para a internet, mas acho que situa bem o que penso sobre a “ocupação da Amazônia”. Cinco anos atrás e ainda agora.)   Eu tinha 16 anos quando “estreei”, em maio de 1966, como jornalista profissional nas páginas de A Província do … Continuar lendo

A Vale encolheu. E agora?

No dia 20 de dezembro a Vale informou à opinião pública ter concluído a avaliação anual da mineração de cobre de Onça Puma e dos ativos de alumínio, ambos no Estado do Pará, “o que implicará no reconhecimento do impairment antes de impostos de US$ 4,2 bilhões, o que impactará nosso resultado contábil no quarto … Continuar lendo

A Vale e o resto

(Artigo publicado em novembro de 2007)   O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra paralisou por três vezes em 2007 o funcionamento da ferrovia de Carajás, pela qual trafega o maior trem de cargas do mundo. Cada dia de paralisação causa um prejuízo de 15 milhões de dólares, no mínimo, à antiga Companhia Vale do Rio … Continuar lendo