//
arquivos

Lúcio Flávio Pinto

Lúcio Flávio Pinto tem escrito 261 posts para Lúcio Flávio Pinto: A Vale que vale

Ainda o porto de Carajás

(Artigo publicado no Jornal Pessoal 313, de dezembro de 2003) A ideia de um superporto no local mais avançado do litoral paraense, na ponta da Romana (e não mais, conforme a última versão, na ponta da Tijoca) deixou de ser uma ideia para se transformar num projeto. Já há proposta de emenda no Congresso para … Continuar lendo

O porto de Carajás

(Artigo publicado no Jornal Pessoal 311, de novembro de 2003) Para atacar a Companhia Vale do Rio Doce e, dessa maneira, tentar influir sobre o contencioso judicial que trava com a empresa na comarca de Belém (ver edições anteriores do Jornal Pessoal), O Liberal ressuscitou uma questão que parecia superada: o escoamento do minério de … Continuar lendo

Duas décadas de privatização

A privatização da antiga Companhia Vale do Rio Doce completa neste mês duas décadas. Vou reproduzir neste blog alguns artigos que escrevi sobre o tema. O primeiro, na mesma semana em que a venda foi concretizada, em leilão na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, em maio de 1997. Traduziu o gosto de cabo … Continuar lendo

Alunorte: sem expansão

(Artigo publicado no Jornal Pessoal 309, de outubro de 2003) As obras de ampliação da Alunorte, no valor de 582 milhões de dólares (aproximadamente 1,7 bilhão de reais), estão temporariamente suspensas. A empresa, que pretendia elevar sua capacidade de produção – dos atuais 2,4 milhões de toneladas para 4,2 milhões de toneladas anuais – já … Continuar lendo

Deus e o diabo no subsolo do sol

(Publicado no Jornal Pessoal 308, de setembro de 2003) Este é o prefácio que escrevi para meu 10º livro, CVRD – A sigla do enclave (Cejup,256 páginas, R$ 25), lançado na semana passada, que inaugurou a coleção Amazônia.doc da editora. Todos concordam que nenhum Estado brasileiro tem o potencial de grandeza do Pará, o mais … Continuar lendo

Falta de energia

(Artigo publicado no Jornal Pessoal 307, de agosto de 2003) A declaração feita em Belém pelo presidente da Vale do Rio Doce, Roger Agnelli, de que a empresa não pode avançar na verticalização do aproveitamento do minério de Carajás por falta de energia tem um endereço certo: pressionar o governo federal para aceitar a renovação … Continuar lendo

 Atraso

(Artigo publicado no Jornal Pessoal 307, de agosto de 2003) A grande imprensa nacional anunciou, no dia 15, que a Companhia Vale do Rio Doce decidiu antecipar para o primeiro trimestre de 2004 a expansão da produção de Carajás, antes programada para 2005. Dos atuais 56 milhões de toneladas anuais, o chamado Sistema Norte passará … Continuar lendo

Retrato da ambiguidade

(Artigo publicado no Jornal Pessoal 307, de agosto de 2003) Enquanto se tornava persona non grata no Pará, alvo da maior campanha de críticas a uma só empresa da história recente do Estado, a Companhia Vale do Rio Doce acumulava trunfos nacionais e internacionais invejáveis. A CVRD registrou lucro líquido recorde, de 2,4 bilhões de … Continuar lendo

Os bwanas do sul

(Artigo publicado no Jornal Pessoal 303, de junho de 2003) Mesmo quando tentam ser solidários com seus irmãos nortistas, certos intelectuais sulistas não conseguem livrar-se do sentimento de superioridade que viver na parte mais moderna e rica do país lhes incute. A arrogância, combinada com o preconceito, acaba ditando alguns de seus atos falhos. Foi … Continuar lendo

O parto do nascimento

Se depender da Companhia Vale do Rio Doce, o Pará continuará a crescer aceleradamente em termos quantitativos, mas o ganho qualitativo será baixo. As curvas do crescimento econômico e do desenvolvimento humano, nessa progressão, continuarão a seguir a trajetória atual: distanciando-se um do outro. Este pode ser o resumo do primeiro debate público da empresa … Continuar lendo

Mineração é industrialização?

Uma questão constantemente debatida neste blog é em torno da mineração, a atividade produtiva mais importante (e menos conhecida) do Pará. Afinal, o beneficiamento do minério de ferro feito pela Vale em Carajás é industrialização? Uma base factual para a resposta pode ser encontrada em 1998. Em dezembro desse ano, o Conselho Deliberativo da Sudam … Continuar lendo

Recorde em Carajás

Carajás bateu o recorde de produção em um trimestre: produziu 36 milhões de toneladas de minério de ferro nos três primeiros meses deste ano, graças à entrada em operação da jazida de Serra Sul. Contribuiu assim para que a Vale, dona da província mineral, também batesse seu recorde de produção geral, com 86,2 milhões de … Continuar lendo

A Vale para os chineses?

No próximo mês a antiga Companhia Vale do Rio Doce completará 20 anos como empresa privada, a maior do país, em 75 anos de história. Terá a partir de maio um novo presidente e uma nova organização corporativa. As duas iniciativas visariam romper definitivamente com seu passado, de extensão do governo federal, e dar-lhe o … Continuar lendo

Uma Vale que desaparece

Fabio Schvartsman, que vai assumir a presidência da Vale no próximo mês, ficará no cargo por apenas dois anos, em mandato curto já pré-determinado. Primeiro porque ele tem 63 anos e há uma norma não escrita na mineradora de que seus executivos devem se aposentar aos 65 anos. Essa regra pode ser esquecida, justamente porque … Continuar lendo

Decisão fechada

Os controladores da Vale anteciparam a escolha do novo presidente da mineradora, Fábio Schvartsman, para “estancar um processo de desgaste para a mineradora, que ameaçava tomar proporções maiores”. Segundo uma fonte ouvida pelo jornal Valor Econômico, na edição de hoje, o atual presidente, Murilo Ferreira, “vinha externando insatisfação com sua substituição em conversas com investidores”. … Continuar lendo