//
arquivos

Lúcio Flávio Pinto

Lúcio Flávio Pinto tem escrito 271 posts para Lúcio Flávio Pinto: A Vale que vale

Do público ao privado

Oriximiná: prefeitura favorece mineradora (Artigo publicado no Jornal Pessoal 320, de março de 2004) No início da construção da hidrelétrica de Tucuruí, um quarto de século atrás, em pleno regime militar, o presidente Ernesto Geisel avançou além de sua competência constitucional e isentou a principal empreiteira da obra, a Construtora Camargo Corrêa, do pagamento de … Continuar lendo

Confusão com a bauxita

(Artigo publicado no Jornal Pessoal 392, de março de 2004) Na queda-de-braço com a maior empresa privada em atuação no Estado, a Companhia Vale do Rio Doce, o governo demorou demais a agir. Perdeu o poder de iniciativa e foi atropelado pelos fatos, que foram se acumulando à sua revelia. Além disso, quando agiu, na … Continuar lendo

Eike no ouro

(Publicado no Jornal Pessoal 320, de março de 2004, este artigo mostra o futuro megaempresário Eike Batista nos seus momentos iniciais) Eike Baptista sempre foi motivo de interesse para a imprensa como o marido (agora, quase ex) de Luma de Oliveira. Mas ele podia ser encarado também por outra ótica: como o filho de Eliezer … Continuar lendo

Ameaça

(Nota publicada no Jornal Pessoal 319, de março de 2004) Um site especializado em mineração noticiou, no início do mês, que a Anglo American, a maior mineradora do mundo, estaria interessada em comprar os 20% que a Bradespar detém na Valepar, holding que controla a Companhia Vale do Rio Doce. O valor do negócio seria … Continuar lendo

Semelhança

(Nota publicada no Jornal Pessoal 319, de março de 2004) No ano passado foi lançada, em Brasília, a Frente Parlamentar do Vale do Rio Doce. Dela fazem parte representantes políticos de 202 municípios de Minas Gerais e 28 do Espírito Santo, com população total de 3,5 milhões de habitantes, distribuídos ao longo dos 1.300 quilômetros … Continuar lendo

Cobre: história torta

(Artigo publicado no Jornal Pessoal 319, de março de 2004) Com a entrada em operação da mina do Sossego, em Carajás, na segunda quinzena de junho, “o Brasil começa sua transformação em exportador líquido  de  cobre”, diz o comunicado de imprensa da Companhia Vale do Rio Doce, dona do empreendimento. Como se trata de uma autêntica … Continuar lendo

Desafio em Carajás

(Artigo publicado no Jornal Pessoal 319, de março de 2004) Dono de um terço das florestas tropicais do planeta, as mais ricas existentes na Terra, o Brasil ingressou no ano passado no vexatório clube dos importadores de madeira. Está indo buscar até em Portugal o que, teoricamente, podia ter à vontade em seu próprio território. … Continuar lendo

Chamem o De Gaulle

(Artigo publicado no Jornal Pessoal 319, de março de 2004) O governo do Pará não é sério. Em palavras menos duras, é o que dizem três ações propostas neste mês no fórum de Belém. Duas delas são de responsabilidade da Companhia Vale do Rio Doce. Segunda maior exportadora brasileira e a maior empresa em atividade … Continuar lendo

A Vale e o Pará

  (Artigo publicado no Jornal Pessoal 318, de fevereiro de 2004) Uma das maiores pragas que tem assolado o Pará republicano é a dos caciques brancos. Embora esses morubixabas políticos frequentemente usem a metáfora para afirmar sua liderança, o paralelismo com os índios não lhes é favorável, ao contrário do que pensam. O último dos … Continuar lendo

Privatizada de novo

Vinte anos atrás, em 1997, a Companhia Vale do Rio Doce deixou de ser estatal. Seu controle acionário foi vendido a um consórcio que se formou pela associação de fundos federais de pensão, à frente o Previ (dos funcionários do Banco do Brasil, o maior de todos) com o Bradesco, a japonesa Mitsui e uma … Continuar lendo

Ainda o porto de Carajás

(Artigo publicado no Jornal Pessoal 313, de dezembro de 2003) A ideia de um superporto no local mais avançado do litoral paraense, na ponta da Romana (e não mais, conforme a última versão, na ponta da Tijoca) deixou de ser uma ideia para se transformar num projeto. Já há proposta de emenda no Congresso para … Continuar lendo

O porto de Carajás

(Artigo publicado no Jornal Pessoal 311, de novembro de 2003) Para atacar a Companhia Vale do Rio Doce e, dessa maneira, tentar influir sobre o contencioso judicial que trava com a empresa na comarca de Belém (ver edições anteriores do Jornal Pessoal), O Liberal ressuscitou uma questão que parecia superada: o escoamento do minério de … Continuar lendo

Duas décadas de privatização

A privatização da antiga Companhia Vale do Rio Doce completa neste mês duas décadas. Vou reproduzir neste blog alguns artigos que escrevi sobre o tema. O primeiro, na mesma semana em que a venda foi concretizada, em leilão na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, em maio de 1997. Traduziu o gosto de cabo … Continuar lendo

Alunorte: sem expansão

(Artigo publicado no Jornal Pessoal 309, de outubro de 2003) As obras de ampliação da Alunorte, no valor de 582 milhões de dólares (aproximadamente 1,7 bilhão de reais), estão temporariamente suspensas. A empresa, que pretendia elevar sua capacidade de produção – dos atuais 2,4 milhões de toneladas para 4,2 milhões de toneladas anuais – já … Continuar lendo

Deus e o diabo no subsolo do sol

(Publicado no Jornal Pessoal 308, de setembro de 2003) Este é o prefácio que escrevi para meu 10º livro, CVRD – A sigla do enclave (Cejup,256 páginas, R$ 25), lançado na semana passada, que inaugurou a coleção Amazônia.doc da editora. Todos concordam que nenhum Estado brasileiro tem o potencial de grandeza do Pará, o mais … Continuar lendo