//
arquivos

Lúcio Flávio Pinto

Lúcio Flávio Pinto tem escrito 287 posts para Lúcio Flávio Pinto: A Vale que vale

Lucro em 2005

(Publicado no Jornal Pessoal 351, de agosto de 2005) Quem faturou, no Brasil, 17 bilhões de reais no primeiro semestre deste ano? O número de privilegiados dessa categoria cabe nos dedos de uma única mão. Quem, sobre esse faturamento bruto, obteve lucro líquido de R$ 5,1 bilhões? Talvez nem os bancos, os grandes privilegiados, juntamente … Continuar lendo

Mineradora grande. Estado pequeno

(Publicado no Jornal Pessoal 304, de julho de 2003) A Companhia Vale do Rio Doce é a maior mineradora brasileira, com 22 mil funcionários e receita de 5,2 bilhões de dólares no ano passado. É também a empresa brasileira que mais exporta, sendo responsável por mais de 20% das divisas líquidas faturadas pelo país. Sétima … Continuar lendo

Cobre: nova frente

(Publicado no Jornal Pessoal 334, de novembro de 2004) A audiência pública sobre o “Projeto 118”, com o qual a Companhia Vale do Rio Doce irá explorar a segunda das cinco jazidas de cobre da província mineral de Carajás, no sul do Pará, realizada no dia 20, no município de Canaã dos Carajás, “foi uma … Continuar lendo

O sonho da siderurgia

(Este artigo, publicado no Jornal Pessoal 333, de novembro de 2004, atesta a longa novela sobre a siderurgia na Amazônia) Só no final do mês passado, quando foi promovido o primeiro seminário para tratar da questão com a população, os moradores de uma área de São Luís, a capital do Maranhão, começaram a cobrar satisfações. … Continuar lendo

Para longe

Pelo acordo de acionistas que firmaram, em agosto do ano passado, fundos de pensão estatais, o Bradespar (do Bradesco) e a japonesa Mitsui se tornaram os principais controladores da Vale. Eles possuem 20% das ações ordinárias (que dão direito a voto) da mineradora (ainda brasileira?). Dessa limitação sobraram ações que valem entre 13 bilhões e … Continuar lendo

Um Estado mineral

(Publicado no Jornal Pessoal 331, de outubro de 2004)   Um novo produto entrou na pauta de exportação do Pará em agosto: o concentrado de cobre, obtido na mina do Sossego, em Carajás. Só nesse mês foram vendidos 51 milhões de dólares do produto, que passou a representar, de imediato, 2,21% do valor das vendas … Continuar lendo

Cavalo de Troia made by China

(Publicado no Jornal Pessoal 329, de setembro de 2004)   Na década de 1970, o alto custo da energia, provocado pelo duplo choque do petróleo, obrigou o Japão a refazer sua estrutura produtiva. Uma de suas mais drásticas iniciativas, motivada pela fragilidade energética do país, foi fechar praticamente todas as suas fábricas de alumínio, o … Continuar lendo

O gigante cresce

(Publicado no Jornal Pessoal nº 257, de abril de 2001) A Companhia Vale do Rio Doce já iniciou os procedimentos para duplicar a capacidade de produção de minério de ferro em Carajás, no sul do Pará, hoje, individualmente, a principal unidade produtiva do Estado, com faturamento superior a 700 milhões de reais ao ano. No … Continuar lendo

Vale vai atacar concorrentes

Quem for podre que se quebre – é o atual estado de espírito da Vale. Ela teme que a elevação do preço do minério de ferro no mercado internacional traga de volta pequenos produtores, que perderam sua viabilidade quando a cotação do produto caiu, tornando anticomercial a exploração de suas jazidas. Para evitar essa tendência, … Continuar lendo

Alunorte: maior do mundo

(Este texto, publicado no Jornal Pessoal 327, de agosto de 2004, registra a penetração da Noruega no polo de alumina e alumínio de Barcarena, que culminaria na absorção pela empresa norueguesa, de todo o setor, até então controlado pela Vale.) A Alunorte uniu, no final do mês passado, todas as pontas do plano para se … Continuar lendo

Crescimento sem progresso

(Publicado no Jornal Pessoal 327, de agosto de 2004) O Pará começou a primeira década do novo milênio produzindo pouco mais de dois bilhões de dólares em minérios, destinados quase integralmente à exportação. Chegará ao final desta primeira década do século XXI com o produto mineral próximo da marca de US$ 10 bilhões, vendido praticamente … Continuar lendo

Transação no exterior

(Publicado no Jornal Pessoal 326, de junho de 2004) Os analistas reprovaram e o valor das ações da empresa brasileira na bolsa caiu, mas a operação de compra da canadense Noranda pela Companhia Vale do Rio Doce, anunciada na semana retrasada, não retrocedeu. A transação envolve risco e talvez seja mais motivada por impulso de … Continuar lendo

Portos de minério

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Adnan Demachki, que também é secretário do Programa de Parcerias de Investimento, foi a Brasília reclamar recursos para a construção da Fepasa, a ferrovia projetada pelo governo do Estado como novo eixo central de desenvolvimento do Pará. O Repórter 70 de ontem, de O Liberal, registrou o … Continuar lendo

Pará: recorde mineral para quê?

O Pará deverá bater em 2017 seu recorde histórico de produção mineral. Só no primeiro semestre deste ano, o valor da produção de minérios atingiu mais de 18 bilhões de reais, 41% superior ao de igual período de 2016. Em todo ano passado, que foi de crescimento em relação ao exercício anterior, o total alcançou … Continuar lendo

Pará e Maranhão

(Publicado no Jornal Pessoal 325, de junho de 2004) Maranhão e Pará, irmanados por uma complementaridade compulsória e uma irmandade involuntária, têm desperdiçado energia a se digladiar por alvos que nunca chegaram nem a saber se lhes causa mais lucro ou prejuízo. O Pará é um dos principais destinos dos fluxos migratórios maranhenses, uns espontâneos, … Continuar lendo