//
arquivos

Lúcio Flávio Pinto

Lúcio Flávio Pinto tem escrito 418 posts para Lúcio Flávio Pinto: A Vale que vale

Concessão renovada

O Tribunal de Contas da União acaba de aprovar a antecipação da prorrogação da concessão das ferrovias de Carajás e da Vitória a minas, pelas quais a Vale transporta sua produção de minério. A aprovação foi à unanimidade. Os conselheiros acompanharam o voto do relator, ministro Bruno Dantas. As duas concessões, que chegariam ao final … Continuar lendo

Maior minerador

O Pará recebeu metade da arrecadação da Compensação Financeira pela Exploração Mineral, o royalty da mineração: 1,032 bilhão em um total de R$ 2,1 bilhões (alta de 1,3%) no primeiro semestre deste ano. Com a receita de Minas Gerais, 2º colocado, os dois Estados concentraram 85,5% da CFEM do Brasil. A primazia paraense decorre de … Continuar lendo

O sumidouro do minério

Quando a Companhia Vale do Rio Doce foi privatizada, em 1997, a ferrovia de Carajás transportava 35 milhões de toneladas de minério de ferro desde a mina, na região central do Pará, 500 quilômetros a sudoeste de Belém, até o porto da Ponta da Madeira, na ilha de São Luís, no Maranhão, por 897 quilômetros. … Continuar lendo

Como se fosse em Marte

Não é pouco o dinheiro que a vale deverá gastar para conseguir a prorrogação, por mais 30 anos, dos contratos de 50 anos das duas ferrovias que opera, a Carajás e a Vitória-Minas. O governo federal pretende aplicar esse recurso na construção de duas novas ferrovias pela própria Vale: um trecho da Ferrovia de Integração … Continuar lendo

Carajás segundo Vanderlei (1)

Em 2015, Vanderlei Beisiegel prestou um longo depoimento ao Museu da Pessoa, um projeto de memória da Companhia Vale do Rio Doce, sobre a sua atividade de geólogo. Decidi editar a parte mais relacionada a Carajás e reproduzi-la. Não só em homenagem a Vanderlei. Também para que os paraenses saibam melhor sobre a história do … Continuar lendo

Carajás segundo Vanderlei (2)

Esta é a segunda parte do depoimento de Vanderlei Beisiegel, recentemente falecido, sobre o dia a dia da pesquisa na Serra dos Carajás, onde surgiria a maior província mineral do planeta. Um documento de excepcional valor para uma história mais íntima e personalizada desse período tão importante da história da Amazônia. _______________ A pesquisa em … Continuar lendo

Carajás segundo Vanderlei (3)

Mais ou menos em meados de 1971, quando já estávamos entrando na reta final da pesquisa, começamos a viajar com maior frequência [do Rio de Janeiro] para Belém para começar a preparar o relatório final de pesquisa. No começo de 1972 fui de uma vez para Belém para trabalhar nesse famoso relatório, que levou muito … Continuar lendo

Mais ferro em Carajás

A Vale recebeu, ontem, a licença ambiental prévia do Estado para duplicar para 10 milhões de toneladas anuais de minério de ferro a capacidade de produção da mina de Serra Leste, que fica na província mineral de Carajás, no Pará. Em três meses deverá sair a licença de instalação, que permitirá a produção integral. Estima-se … Continuar lendo

Prejuízo de R$ 800 milhões

As empresas do polo de alumínio de Barcarena, controladas pela multinacional norueguesa Norsk Hydro, acumulam prejuízo de quase 800 milhões de reais em seu conjunto. A Albrás, que produz alumínio metálico, e a Alunorte, a maior fábrica de alumina do mundo, acumulam cada uma quase 300 milhões de reais. O prejuízo da Companhia de Alumina … Continuar lendo

Mineração ilegal

A exploração de minério no Para se tornou tão intensa e descontrolada no Pará que levou a Polícia Federal a cumprir hoje (dia 16) dois mandados de busca e apreensão na em Redenção, no sudeste do Estado, como parte da sua investigação de crimes cometidos em série: ambientais, extração ilegal de minérios e posse de … Continuar lendo

Carajás: questionada ferrovia

O jornal Valor Econômico publicou hoje que o Tribunal de Contas da União poderá se manifestar contra a antecipação da renovação do contrato de concessão da Estrada de Ferro Carajás, explorada pela Vale. Relatório de auditores do órgão aponta falhas nos estudos apresentados ao tribunal. A reportagem se baseia em um relatório no qual auditores … Continuar lendo

O lucro de investir na natureza

No ano passado, a Mineração Rio do Norte, que atua no oeste do Pará, com sua sede em Oriximiná, produziu e vendeu menos bauxita do que em 2018 (11,5 milhões de toneladas contra 14,8 milhões). Mas faturou quase tanto com as vendas (pouco mais de de 1,6 bilhão de reais e  R$1,7 bilhão) e alcançou … Continuar lendo

A mineradora brasileira das multinacionais

Em 1972, em plena ditadura, a Sudam (Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia) aprovou o maior projeto da sua história até então. A multinacional canadense Alcan, uma das “seis irmãs” do cartel internacional do alumínio, se dispunha a iniciar a lavra de uma das maiores jazidas de bauxita do mundo, no interior da região, a mil … Continuar lendo

O lucro de investir na natureza

No ano passado, a Mineração Rio do Norte, que atua no oeste do Pará, com sua sede em Oriximiná, produziu e vendeu menos bauxita do que em 2018 (11,5 milhões de toneladas contra 14,8 milhões). Mas faturou quase tanto com as vendas (pouco mais de 1,6 bilhão de reais e R$ 1,7 bilhão) e alcançou … Continuar lendo

Trem de passageiros paralisado

O governador Helder Barbalho anunciou, no dia 24, no seu perfil no Twitter: “Acabamos de proibir a entrada de um trem com passageiros da empresa Vale no Pará! Ele ficará retido na cidade de Açailândia, no estado do Maranhão”. O acento de exclamação ao final da primeira frase parece indicar que o governador praticou um … Continuar lendo

Categorias